segunda-feira, 23 de Maio de 2011

Vícios - Jogo

O vício do jogo, como qualquer outro vício, é um comportamento compulsivo e obsessivo que afecta as relações pessoais, familiares e profissionais.
A generalidade das pessoas não admite determinados comportamentos compulsivos como fazendo parte de uma adição. Muitos pensam que só se é dependente de álcool ou drogas, coisas que são passíveis de dar “cabo da vida”.
A verdade é que somos dependentes de algo (substância ou comportamento) se a nossa vida gira à sua volta de tal modo que somos governados, e não governadores; quando a obsessão afecta as relações sociais e quando se está, percebendo-o ou não, a perder independência face a uma substância ou a um produto concreto.
Assim, a dependência instala-se quando o comportamento perante o jogo ocasiona consequências nefastas para o jogador compulsivo e familiares e amigos, e tal comportamento começa a ocupar grande parte dos pensamentos do indivíduo.
Tanto em jogos a dinheiro como em jogos de computador, o que interessa ao jogador é o poder e ganhar. Os jogos de computador se, por um lado, podem ajudar a desenvolver a capacidade de raciocínio, por outro, veiculam demasiada violência.
Seja qual for o estilo de dependência do jogo, o relevante é que o jogo é a prioridade total – não deixa tempo para mais nada.
Regra geral, é uma situação detectada já bastante tarde. No caso dos jogos a dinheiro, normalmente, a partir do desespero patenteado pelo dependente (susceptível de desencadear ideias de suicídio), que pode ter origem no facto de ter apostado tudo o que tenha algum valor. No caso dos jogos de computador, detecta-se tal como o vício da internet, pelo tempo excessivo passado ao computador, o isolamento social, a baixa de auto-estima e alterações de humor.  
A dependência do jogo pode coexistir com transtornos de ansiedade, do humor ou com a adição ao álcool ou às drogas e ter origem em factores genéticos e/ou psicossociais.
As técnicas de tratamento para a dependência do jogo são semelhantes às utilizadas no tratamento de dependências químicas. O indivíduo deve reconhecer a sua incapacidade de controlar o impulso de jogar e dispor-se a manter-se abstinente deste vício.
O apoio psicológico é uma das valências mais importantes do tratamento para a dependência do jogo, sendo que, no decorrer dos processos terapêuticos, o paciente vai interiorizando que não poderá voltar a uma mesa de jogo, por exemplo – por brincadeira, ou seja pelo que for –, se pretender manter-se em sanidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário